Buscar
  • Iza Valadão

Janelas: Tipos de Abertura

As janelas são elementos importantes no projeto de construção ou reforma de casas e apartamentos porque influenciam além da estética, na entrada de ar e luz natural, o que incide diretamente no total da conta de energia elétrica da edificação.


Elas possuem variações de funcionamento e podem ser confeccionadas com diferentes tipos de materiais, como: Alumínio, Madeira, PVC, Ferro e Vidro. Hoje iremos falar dos tipos de aberturas que as janelas podem ter, os mais encontrados e utilizados no Brasil, e por consequência, os mais baratos.


1. JANELAS DE ABRIR


É um modelo simples e permite o controle da ventilação e iluminação natural, reguladas através da abertura, que é única. Tem diferentes tamanhos e abrem para fora, com giro sobre o eixo vertical. Geralmente usadas em quartos e sala.


Alguns modelos, como esse nosso, possuem outra camada além do vidro, as chamadas venezianas, que controlam a luminosidade mantendo a ventilação no cômodo e diminuindo o uso do ventilador. É um modelo muito indicado para quartos.


Quando o vidro e a veneziana estão abertos, entra luz e ar no cômodo, mas é possível deixar apenas a parte de vidro aberta com a veneziana fechada, assim entra ar e não a luz (ideal para aquele “cochilinho” após o almoço; ou a parte de vidro fechada com a veneziana aberta, mantendo a luminosidade, numa ocasião de chuva forte durante o dia; e ainda tem a opção de tudo fechado (vidro e veneziana).


As janelas de abrir são fáceis de operar e de limpar. O seu sistema de fecho por compressão e dobradiças propicia uma maior selagem e proteção em relação a fugas de ar e infiltrações de água. Mas também é responsável pela tendência das janelas de abrir serem mais caras do que as de correr. Elas também são mais pesadas.


2. JANELA DE CORRER


Funciona através de deslizamento horizontal das folhas, que são as partes individuais da janela. O número de folhas interfere na ventilação e iluminação do ambiente. As janelas com 2 folhas e 4 folhas são opções bastante populares, quanto maior o número de folhas, maior o controle de intensidade de luz e arejamento no ambiente.


As folhas podem ser ou não dobráveis, como no caso das janelas sanfonadas, também conhecidas como janela camarão, onde as folhas são articuladas, permitindo uma abertura quase que total do vão, pois as folhas são dobradas uma sobre a outra e recolhidas nas laterais do vão.


Essa que temos aqui, tem 4 folhas, que deslizam para os lados. Esse movimento ocorre em função dos trilhos, presentes na parte de cima e na parte de baixo. Essas janelas não ocupam espaço interno nos ambientes e favorecem a decoração. São encontradas em diversos materiais, essa que demonstramos é de alumínio, mas pode ser de madeira, PVC ou apenas com o vidro temperado, muito utilizadas atualmente para todos os cômodos da casa.


Elas podem ser confeccionadas em tamanhos maiores, para projetos com necessidade de janelas mais amplas, e permitem o controle da ventilação do ambiente através da abertura das folhas.


São muito indicadas para residências com pessoas com a mobilidade reduzida, devido ao seu funcionamento simples, sem interferência do vento para a abertura; abre e fecha com um simples movimento de mãos.


No entanto, seu sistema de calafetagem é pouco eficiente, permitindo infiltrações e fugas indesejadas de ar quente e frio através de frestas que podem existir na sua estrutura. Isso aumenta a necessidade de manutenção das paredes e também o consumo de energia elétrica, em casos de cômodos com o uso do ar condicionado.


3. GUILHOTINA


Movimenta-se deslizando na vertical sem ocupar espaço no ambiente interno ou externo, possui duas folhas: uma fixa superior e uma móvel inferior, por isso é perfeita para o uso em ambientes pequenos, pois aproveita muito bem o espaço, utilizando a altura da parede, com pouca largura.


Encaixa-se bem em estilos arquitetônicos diversos e muitas vezes é conjugada com venezianas de abrir para fora. Era uma abertura muito tradicional e utilizada no Brasil em construções mais antigas e com estilo mais rústico, se encaixando no estilo de todos os cômodos das residências.


Com o passar do tempo, seu uso ficou limitado a área da cozinha, devido a sua eficiência na iluminação natural, mesmo com a janela fechada. No entanto tem sido observada uma tendência no aumento do seu uso, em novas construções por todo Brasil, principalmente em áreas costeiras, em função da ação do vento e da chuva, devido a qualidade de sua vedação.


Graças a um sistema de molas que faz o balanceamento do peso das folhas, a abertura se torna mais fácil e sem esforço, através de uma borboleta, que fica nas duas laterais da janela. Diferente das antigas, que precisavam de um pouquinho de força para ser empurrada para cima. Também é possível deixar a folha da janela aberta em qualquer posição.


A janela destaca-se por ser totalmente funcional, pois pode receber telas mosquiteiras e vários tipos de persianas. Mas devido ao material de confecção pode sofrer variação significativa de dimensões, como acontece no caso da madeira, que dilata em função da variação de temperatura.




44 visualizações

©2018 Iza Valadão.
Desenvolvido por Tática Web